Feeds:
Posts
Comentários

Archive for novembro \16\UTC 2013

CACHAÇA

Estou escrevendo este post, mas não quero que entendam como incentivo para que bebam. No final, cada um deve fazer o que lhe for melhor.

Churrasco - 1956

Churrasco – 1956

Estou com 77 anos de idade e até bem pouco tempo, quando me perguntavam se tomava algum medicamento, eu afirmava que sim, que eu tomava calmante e antidepressivo; Calmante: Uma mineirinha da boa; Antidepressivo: Uma cervejinha. Agora, infelizmente, me convenceram a tomar remédio para pressão e colesterol.
Passei a beber com mais regularidade depois dos 50 anos. Só bebo cachaça da boa. Daquela que matou o guarda, nem pensar. Sou apreciador e conheço quando a cachaça é boa.

Me considero um alcoólatra controlado, tomo diariamente, como aperitivo no almoço e no jantar e nunca fico bêbado, tomo sempre a dose certa. Antes de me aposentar, só bebia no jantar. A moda atual é tomar inibidores de apetite e eu faço exatamente o contrario, tomo um abridor de apetite.
Todos os médicos que consultei afirmaram que pouco de álcool é bom para organismo, desde que a pessoa se sinta bem.
O nosso organismo avisa quando parar. Foi assim com o cigarro. Fumei por 25 anos, parei a 40, e ainda, em radiografia recente apareceu mancha no pulmão.
Parei num dia primeiro do ano, após ter fumado muito no reveillon e amanhecido com dor no peito.

ZÉ VICENTE
O Sr. ZÉ VICENTE que mora em um barraco de madeira no Parque da Ferradura, perto da Truticultura da Cachoeirinha em Campos do Jordão, parou de beber a 2 anos atrás para poder tomar remédio para pressão. Em Campos do Jordão é normal as pessoas terem pressão alta por causa da altitude 1800m. O interessante é que ele está lúcido e forte e deverá comemorar este ano 107 ANOS DE IDADE.
Eu o visitei recentemente conversamos bem. Gosta de receber visitas.

A ORIGEM
Devo confessar que sou de uma família de alcoólatras. Aprendi que para beber bastante (tempo) tem que beber pouco.
Os que não souberam beber, tiveram que parar.
Na minha terra, Mococa, divisa com Sul de Minas, costumava aparecer ótimas cachaças, que meus tios compravam e eu acabava experimentando. Vale dizer que eles eram apreciadores e nunca ficaram bêbados.
Meu pai, que era muito boa pessoa, mas que infelizmente, não sabia beber e vivia chegando bêbado em casa. Minha mãe chegou a colocar um remédio na comida para que ele não bebesse. Acabou tendo que parar mesmo de beber.
Conheço outro caso de uma pessoa muito boa que parou por causa da cirrose. Em todos os casos, a pessoa não pode tomar mais nenhum gole.

A LIÇÃO
A foto acima foi tirada num churrasco do Banco F. Barreto, onde apareço atrás da diretoria (e dos Puxa-sacos, Já tinha tomado algumas.
O meu chefe levou um litro de uma cachaça muito boa e me mostrou onde tinha escondido, com a recomendação: nâo conte pra ninguém. Eu encontrava um amigo e fazia a mesma coisa e aproveitava para tomar um gole.
Quando saiu o churrasco, peguei uma carne muito dura e continuei bebendo de estômago vazio.
De repente, comecei a passar mal e tive que ser levado ao Pronto Socorro para tomar soro na veia. Dormi até o dia seguinte.
A foto me ajuda lembrar duas coisas importantes:
1-Com cachaça não se brinca.
Fiquei muito tempo bebendo só socialmente e alguns cuba-libres nos bailes.
Só voltei a apreciar a cachaça depois dos dos 50 anos, quando descobri algumas cachaças boas aqui em São Paulo.
2-Não se deve beber sem comer nada logo em seguida, nem que seja um petisco ou tira-gosto.
Depois disto, tive mais 2 problemas, bem menores, originados por bebidas doces.
Fiquei muito tempo sem tomar caipirinha, depois aprendi que a caipirinha deve ser tomada como digestivo e não como aperitivo.

EFEITOS DA CACHAÇA
Normalmente, o álcool faz realçar o temperamento da pessoa. Quem é violento, fica mais violento, quem é brincalhão fica mais brincalhão e às vezes, até chatos. Quem é triste chega até a chorar. Eu, não me classifico em nenhum desses tipos. Eu era brincalhão, sem ser chato e hoje bebo para relaxar e abrir o apetite. Desisti de contar piadas, porque hoje parece que todo mundo está mal humorado e nem explicando a piada alguém ri.
Eu conheço alguns que até fazem cara feia.Sou viciado em fazer trocadilhos, de vez em quando, esqueço e faço um (mesmo sem precisar beber) , levo a maior bronca da minha ilustre consorte, que detesta brincadeiras.(?_;)
Meu cunhado, quando bebia, engrossava com todo mundo. Em compensação, dois amigos de sinuca que não bebiam nem água, quebraram o pau (literalmente, um quebrou o taco na cabeça do outro).
Devo lembrar que se a pessoa já estiver p. da vida, mesmo que tenha índole boa, não deve beber que poderá ficar violenta. A cachaça é ótima para relaxar, quando a pessoa está cansada ou chateada e não quando está furiosa.
Quando era jovem, era um excelente atleta, fazia acrobacias na barra fixa, lutava boxe e fazia musculação, comecei a frequentar bailes (hoje baladas) e tomar cuba-libres e tive que parar. No boxe, só apanhava.
Atualmente, só me preocupa a barriga, como a cachaça tem muita caloria e ainda abre o apetite, é inevitável engordar.
No mais, estou com bastante disposição, faço caminhadas e trabalho (cozinho) bastante, nos meus 77 anos.

A TRANSFUSÃO
Tive aos 20 anos de idade, um reumatismo infeccioso que me consumiu 3,5 anos de salário. Em um dos muitos tratamentos, fiquei internado no hospital comendo sem sal. Logicamente, não comia nada. Quando saí, resolvi me recuperar e tomei um medicamento chamado Iberin Ferroso para anemia. Era duro como ferro e causou um forte hemorragia no estômago. Conclusão, voltei para o hospital e anunciaram na rádio pedindo doadores. Foi de um amigo que tomava umas, que veio doar o sangue que me reanimou. É mole?

A MISSA
Morei alguns dias com meu tio que era zelador do Instituto Pasteur na Avenida Paulista próximo da Igreja que ficava na Brigadeiro Luiz Antonio. Antes da macarronada que a Tia fazia, meu tio me convida para a missa das onze. A missa, nada mais era do que uma sessão de aperitivos e muitos papos em um boteco próximo da Igreja. Eu não conseguia tomar mais do que uma Tatuzinho, mas o meu tio era forte e tomava umas 3 ou 4, era um excelente Happy Hour.

TURISMO ALCOOLÓGICO
Certa vez, vi num Posto da Fernão Dias, em uma redoma de vidro, uma garrafa de cachaça (garrafa simples destas de cerveja) preço na ocasião (12 anos atrás) R$ 350,00. Perguntei: Tem alguém que compra? O vendedor respondeu: O quanto tiver, tem gente que deixa encomendado.
Era a Havana, hoje Anísio Santiago, Havana era um rum Cubano famoso. A história é a seguinte: O Sr. Anísio fabricava com carimbo e não vendia pra ninguém, só estocava em tonéis de bálsamo. A cachaça era tão boa, que ele usava para pagar os empregados, que revendiam por bom preço. Quem insistia em comprar tinha que pagar um bom preço.
O Sr. Anísio morreu e os herdeiros passaram a comercializar o grande estoque que ele deixou.
A boa cachaça, não precisa necessariamente ser cara. Nas minhas viagens descobri vários alambiques pequenos em algumas cidades com ótimas cachaças: Salesópolis, Socorro, São Luis do Paraitinga, Monte Alegre do Sul e Luminosa-MG, para citar as mais próximas. Na Serra do Rio Rastro em São Joaquim-SC encontrei uma excelente, pena que não quis comprar garrafão para não aumentar a bagagem. Em Betim, visitei a Fazenda Vale Verde, cachaça premiada e descobri que eles só fabricavam em um período do ano que a cana estava madura, no resto do ano só estocavam para a cachaça descansar.
Quase sempre, uma cachaça cara, com embalagem bonita, não é uma boa. Tem muitas empresas que compram cachaças, compram garrafas bonitas, temperam e vendem como envelhecidas, eu não compro, mas já ganhei muitas dessas.

A BOA CACHAÇA
Uma boa cachaça geralmente é feita em pequenos alambiques, por alguém que gosta e se orgulha do que faz.
Uma boa cachaça deve seguir alguns princípios:
1) Cana de boa qualidade;
2)Fermentação natural do caldo bem feita.Alguns chegam a verificar no silencio da noite noite se a fermentação terminou. Acho que deve ter algum processo mais moderno.
3)Na destilação, deve-se jogar fora os primeiros litros (cabeça) e os últimos litros (rabo), aproveitando só o corpo.
A cabeça é muito forte (quase álcool) e o rabo pode conter alguns resíduos de cobre.
As cachaças artesanais são sempre feitas em alambique de cobre, acham que fica melhor.
Na Universidade de Agricultura Esalq da USP, de Piracicaba tem curso de fabricação de cachaça. Meu filho Cezar estudou lá e me trouxe alguns litros e a cachaça é muito boa.

CACHAÇATERAPIA
No nordeste e em algumas regiões usam muito a cachaça curtis com ervas e raízes, como medicamento.
Tem uma garrafada que eles chamam de Pra Tudo, dizem que levanta até defunto, eu, nunca tomei.
Eu consegui curar uma bronquite de mais de três anos com uma receita que eu mesmo inventei: Cachaça, mel e mentruz, batidos no liquidificador. Não é para encher a cara. Eu tomava um copinho pequeno a noite, e deu certo a experiência.

O SANTO
Confesso que não acredito, mas toda vez que eu precisei ele me ajudou.Quando estou esperando noticia de um filho que não chega ou tenho que fazer uma viagem, sempre deixo reservada meia dose para o Santo.
Em um Hotel Fazenda na cidade de Bananal em um casarão do século 19, tombado pelo Patrimônio Histórico. tinha um altar com 3 ou 4 garrafas de cachaça para oos hospedes degustarem e alguns copinhos com restos que diziam eram reservados para os Santos.

PIADA CLÁSSICA
Contada pelos caipiras: O sujeito tinha acabado de ganhar um litro de uma preciosa. Com a pressa de chegar em casa para tomar logo um gole, tropeçou e levou um baita tombo. Sentiu um líquido escorrendo pelo corpo e exclamou:
TOMARA QUE SEJA SANGUE.

CONCLUSÃO

Se tomada com critério, a CACHAÇA é uma boa bebida. As demais, não servem como aperitivo. É comum ver pessoas que tomam um litro de Whisky por dia. Vi uma atriz famosa de novela, filmando em uma metalúrgica, acompanhada de 1 litro de vodka. A onde ela ia o litro ia atrás. O Vinicius que o diga.
Quanto aos jovens, esperem para começar a beber depois dos 40 e depois que já tiverem sucesso em suas vidas. PARA RELAXAR.
Quando jovem, eu ia em bailes, tomava uns dois ou três cuba-libres para descontrair, mas o meu objetivo era namorar.
Hoje, infelizmente a molecada vai às baladas para beber (inclusive as mulheres) – Depois provocam acidentes ao dirigir!

Anúncios

Read Full Post »