Feeds:
Posts
Comentários

Archive for dezembro \26\UTC 2010

FOTOGRAFIA

Suli-Saltando

Um dos primeiros  hobbies que tive foi a fotografia.
Quando era criança, ficava no meu quarto vendo cineminha.
O cineminha que eu via nada mais era do que a reprodução na parede do meu quarto das imagens do que se passava na rua. Explico: Na casa velha que eu morava, a janela tinha alguns buracos, com o sol brilhante que tinha em Mococa, o buraco funcionava como lente de uma  máquina  fotográfica e com a janela fechada, o quarto ficava como uma câmera escura e projetava  as imagens, geralmente charretes, cavalos e pessoas  que passavam na rua.
Foi ai que descobri que era o princípio da fotografia. Tinha um amigo o Celinho que era filho do fotografo da cidade e até  fotografava bem e ele me explicou que o quarto escuro fazia a função da máquina fotográfica que era uma câmera escura e  que quando a lente abria, recebia a imagem que iria queimar  o filme, só que as imagens eram bem melhores.
A revelação era um banho de um produto para  revelar  o negativo e outro fixador para evitar que o filme  continuasse queimando.
Achei interessante e para iniciar, comprei uma maquininha de caixão,  nacional, da DF Vasconcelos, muito fraquinha e as fotos  quase sempre saiam tremidas.
Depois consegui uma Kapsa, também de caixão e que não tinha    recúrsos, mas tinha uma lente bem melhor.
Talvez em algum museu possa encontrar uma.

A foto acima da minha irmã Alzira no espelho e aparecendo um pouco do meu pai atrás dela,  me ajudando segurando um espelho  para refletir a luz e suavizar as sombras, pode ser considerada uma foto histórica, tendo em vista a ginástica que tive que fazer para tirá-la com a Kapsa. Coloquei a máquina em  cima da janela, segurei  firme do lado de fora e consegui dar  5 segundos de exposição sem tremer. Vale observar que  o visor da Kapsa tinha só  2 x 2 cm.
Depois consegui trocar uma coleção de selos muito boa que eu tinha, por uma camera mais prática, com visor ocular, mas que também não tinha nenhum recúrso.
Quando comprei  uma Flexaret, reflex de 2 lentes  similar japonesa da Rolleiflex, passei a fazer fotos bem melhores.  Essas  máquinas  usavam a lente de cima para refletir a imagem no visor e a de  baixo  para captar a fotografia.            Com boa luminosidade  e disparador de boa velocidade, possibilitava fotos noturnas e instantâneos esportivos.
A foto do câo Suli (goleiro do Sâo Paulo) foi um dos primeiro instantâneos que fiz.
Finalmente comprei  uma mono reflex Canon AT-1 com   flash  e uma tele – objetiva de 200 milimetros.                          Esta máquina  teve uma história interessante. Em  um dos 5 assaltos que tive em minha residência, ela foi roubada junto com o flash, a tele e o estojo de prontidão. Trabalhando no centro  de São Paulo, tive a idéia de passar na Rua Conselheiro Crispiniano, boca das máquinas usadas  e  olhando as vitrines,  vi uma máquina igual a minha (AT1 foi comprada no freeshop do aeroporto e a Fotótica  só tinha importado AE1), pedi para ver  como se estivesse interessado em comprá-la, anotei  mentalmente o número de  fabricação,  liguei para  o meu filho Ayrton e pedi pra ver no certificado de garantia o número da nossa máquina.  Era a própria.
Tinha uma delegacia na Secretaria da Fazenda, onde eu estava trabalhando, falei com a delegada e fui com um investigador na loja   e recuperamos a máquina. Apesar de termos conseguido o nome e endereço da pessoa que a deixou em consignação, a  policia  não conseguiu recuperar a tele-objetiva.
Interessante que este ano 2010 ela foi roubada novamente em Campos do Jordão em assalto na casa do meu filho Cezar  e ficamos só  com o Manual como recordação.
Quando eu fotografava era  em preto e branco,   nunca tive fotômetro e  calculava a luminosidade no olhômetro.
A sombra e luz  também era analizada na prática e  no preto e branco, este ítem era importantíssimo.
O meu amigo Helio Fortes transformava com tinta nanquim uma foto preto e branco em colorida e ficava uma beleza.

Veja a foto acima.

Fazia dupla exposição com fundo escuro, usava filtros para melhorar o céu em dias muito ensolarados ,  flash para fotografias no contra-luz e utilizava as aberturas do diafragma como recúrso para fotos de  paisagens ou closes desfocando o fundo ou dando noção de distância.
Cheguei a revelar as fotos  fazendo  truques com as revelações e dominava bem o assunto, a revelação em preto e branco era fácil de fazer.

Tive uma assinatura da revista Foto Arte por mais de 2 anos e quando vinha a São Paulo não deixava de ver as exposições, principalmente na Galeria Prestes Maia. Meu sonho de consumo na época era comprar uma mono reflex 6×6 Hasseblad, a câmara dos fotógrafos de modêlos, mas o preço era muito alto para mim .
Com o surgimento da foto colorida, fiquei meio perdido porque passou a prevalecer as cores e passei a fazer fotos sem compromisso, apenas para recordações.  Como estava juntando muitos albuns,  com o advento do computador, acabei apelando para a foto digital, que não tem graça nenhuma, posso tirar 50 fotos e aproveitar as 10 melhores, além do bom gosto na escolha das fotos, não é preciso ter qualquer outro conhecimento.
Aliás,  estou apanhando desta maquininha e ainda não consegui utilizar todos  recúrsos que ela diz que  tem.
A minha frustação foi nunca ter conseguido fazer um instantâneo com fundo riscado. É a foto batida com pouca velocidade acompanhando co a máquina um objeto em movimento, de modo que este fique nítido e o fundo riscado.
Tudo isto foi resolvido com camas digitais que são verdadeiros computadores.
Meu filho caçula, o Cláudio, herdou o gosto pela fotografia e está bem  equipado com máquina digital profissional, tripês, flashes conjugados, tele-objetiva e até sombrinha refletiva.
Como ele é escalador, consegue fazer  videos  e  fotos muito boas.
O meu neto Ismael,está fazendo um curso profissional e com uma Canon, no primeiro dia de aula, tirou 300 (trezentas) fotos, muitas sairam ótimas. Ele disse que até o final do curso vai ter que apresentar 2 mil.
Com filmes de 24 poses eu não tirava mais do que 100 por ano. Com era obrigado a analizar bem antes de bater, raramente eu tirava 2 fotos do mesmo assunto, o emocionante era ver o resultado depois da revelação. O meuneto tira em média 10 de cada.

Anúncios

Read Full Post »

BOLINHO DE ARROZ

INGREDIENTES:  1 xicara de arroz cozido   –   1 colher sopa de farinha de trigo dissolvida em 1/2  copo de leite  –  1 ovo   –  sal, orégano  e pimenta do reino a gosto.

PREPARO: Coloque tudo no fogo e mexa bem até ficar consistente. Deixe esfriar e frite as colheradas em óleo bem quente, quase cobrindo os bolinhos, virando-os e retirando um a um, colocando no papel absorvente. Frite no máximo 4 de cada vez.

BOLINHO DE BACALHAU

INGREDIENTES:  1/2 kg bacalhau, dessalgado  (12 horas na geladeira  –  trocar água 3 vezes) 3 batatas médias, bem cozidas com pouco sal e passadas no expremedor   –  1 ovo    –    1 ce bola picadinha   –   alho picadinho   –   Cebolinha e pimenta do reino a gosto.

PREPARO:  Secar bem o bacalhau  desfiado, espremendo com a mão, juntar os demais ingredientes mexendo e amassando bem.  Fritar as colheradas em frigideira pequena e óleo bem quente, no maximo 3 ou 4 unidades de cada vez. Colocar em papel absorvente.

BOLINHO DE ATUM

INGREDIENTES: 1 cebola picada  –  2 dentes de alho picados  –  1 lata de atum ralado não escorrido  –  1/2  copo de leite   –  3 colheres de sopa de farinha  de trigo  –   sal e salsinha a gosto.   –

PREPRARO:   Bater tudo no mix e levar ao fogo para engrossar, mexendo  até descolar da panela.  Deixe esfriar, faça bolinhas, passe na farinha de rosca e frite em óleo bem quente. Coloque em papel absorvente.

TORRADA DE ALHO

INGREDIENTES: 2 dentes de alho bem picadinhos  –   orégano  –  1 colher sopa de maionese  –  2 colheres de sopa de azeite.

PREPARO:   Mexer bem, passar em fatias de pão francês tipo bengala, de preferência amanhecido e levar ao forninho elétrico para torrar.Mais ou menos 12 fatias.  Esperar esfriar e servir. Se quizer aumentar a receita leve ao forno grande e as sobras guarde em lata bem tampada.

PANQUECA<

INGREDIENTES: 1  1/2  xicara de leite  –  1 1/2 xicara de farinha de trigo  –  1 ovo   –   2 colheres de sopa de óleo   –  1 colher de chá de sal.

PREPARO: Misture bem com o mix e frite em uma frigideira de teflon untada, 1/2 concha de cada vez,   virando dos dois lados com uma espátula plástica. Leve ao forninho com recheios a gosto: queijo, pizza, escarola e carne moida. Para congelar a massa cubra uma a uma com filme  plástico e retire a quantidade desejada para rechear.

MINI PASTEIS 
Comprar massa na feira. Cortar retângulos e rechear a gosto. Fritar em bastante óleo bem quente, no máximo 2 de c ada vez. Colocar em papel absorvente. No Supermercado tem umas massas  redondas que tambem são boas.

MINI-PIZZAS 

Pão de forma sem a casca, massa prontaa oou pão italiano0. Coberturas: Mussarella, tomate  e orégano, atum, alho ee queijo ralado, calabresa moida, queijo gorgonzolla e azeitonas ,peito de frango desfiado com catupiry ou requeijão.

HAMBURGUER

INGREDIENTES: Carne moida e linguiça calabresa moida no pik-lik (processador), meio a meio.

PREPARO:  Fazer bolas e amassar.

Eu prefiro fazer rolos tipo croquete e amassar, é melhor para comer com pãozinho francês e molho vinagrete ou mussarela fatiada.

Congelar crú enrolando um a um em saquinhos plásticos. Para grelhar, use  de preferência  uma frigideira anti-aderente,  colocando o peso para bifes por cima.   Complete com alface e tomate, se desejar.

Obs: No George Foreman é prático porque dá para assar pelo menos 1/2 duzia de cada vez, mas não pode passar do ponto senão fica muito seco.Eu preefiro congelar os hamburguers já assados ( 15 minutos _e depois só esquentar com queijo na hora do lanche. Neste caso, é melhor fazer hamburguers maiores, porque ele encolhe depois de assado.

CARNE DESFIADA

INGREDIENTES:  Coxão duro em cubos cozidos com sal e 2 folhas de louro  na pressão po 1 hora. Desfiar e congelar em quantidades desejadas.

PREPARO:  Refogar cada porção com cebola,  pimentão,  molho de tomate   e um pouco de pimenta do reino. Fazer sanduiches no pão francês sem miolo, completando com pickles e pimenta.

LINGUIÇA

Calabresa defumada ou linguicinha fina acebolada. É só fritar junto com bastante cebola fica mucho bon.
Linguiça toscana fresca pode ser assada no George Foreman, as demais ficam  muito secas.   
Fica bom com vinagrete e   pãozinho francês.

FRIOS  E QUEIJOS  – Salaminho, copa e mortadela  –  uma delícia  – peito de perú e outros babados – quebram  o galho. Gorgonzolla, parmesão, mussarella,  mineiro meia cura , prato, gouda  e até queijo coalho. Este último vendem espetados o palito pronto para assar.  O segredo é comer o que é gostoso sem exagerar porque estes petiscos tem muitas calorias e aumentam o colesterol.

Tanto os frios, como os queijos combinam com saladas de tomate e pickles, que ajudam diminuir a gordura.

Com alface picadinha e maionese, fica muito bom para fazer sanduiche com pão francês sem miolo.

FONDUE  -A Neiva,  minha Nora de Campos do Jordão que faz e fica muito bom. Só sei que vão 3 ou quatro tipos de queijo, mais um específico para Fondue, ralados ou picados e derretidos com creme de leite. Come-se com pão italiano em pedaços, no espetinho. De sobremesa, Fondue de Chocolate com pedaços de fruta. Tem que ter os espetinhos  e uma espiriteira a alcool para manter os ingredientes.

Já fizemos algumas vezes, mas parece que no friozinho de Campos do Jordão, com vinho, fica mais gostoso.

Read Full Post »

Temos o hábito de tomar um lanche leve no jantar, geralmente utilizamos frios em quantidades pequenas e completamos com saladas. Desistimos das sopas porque a gente acaba repetindo o prato e engordando.

SALADA DE PEPINO A MODA
É a preferida dos meus netos. Estou cansado de fazer.

INNGREDIENTES
2 pepinos dos finos, picados com ou sem casca no picador de legumes
1 cálicde de viuma colher de chá de sal
Mostarda e azeite a goosto

PREPARO
Misture o pepino com sal e vinagre e deixe curtir pelo menos 1 hora
Escorra bem expremendo com as mnãos ee tempere com azeite e mostarda na hora de servir.
Obs: A salada de repolhio pode ser feita no mesmo processo, bastando apenas dar uma ferventada no repolho antes.
SALADA COMPLETA
INGREDIENTES: 2 ovos cozidos  –  1 batata  –  1 cenoura  –  alface  –   1 tomate  em rodelas   –  8 azeitonas verdes  –  vinagrete de cebola e pimentão vermelho  –   palmito   –  molho para salada  –  vinagre   – sal e azeite

PREPARO: Cozinhe os ovos e os legumes na água com sal e 1 colher de vinagre. Deixe esfriar. Espalhe a alface nas bordas de uma travessa, coloque os legumes no meio junto com o palmito, as azeitonas  e o tomate. Escorra o vinagrete e coloque por cima Regue com o molho de sua preferência, uma pitada de sal  e azeite. Obs: Se quizer pode por um pouco de ervilha.

Cozinhe os ovos e os mesmos legumes  da Salada  Completa, excluindo o tomate, a cebola e  o alface   e acrescente  maçã picadinha. Tempere   só com maionese.

SALADA VERDE

Para mim, é a melhor salada. Certa vez eu perguntei ao dono da Cantina do Sargento, na Rua Pamplona, qual era o carro chefe do restaurante e fiquei surpreso quando ele respondeu,  a Salada Verde: Alface, rúcula, agrião, chicória e almeirão, tudo misturado e temperados com vinho e azeite. Em casa é difícil reunir todos os ingredientes, mas dá pra fazer com 2 ou 3.
Deve ser temperada na hora de servir.

SALADA CROCANTE
INGREDIENTES:  1 cenoura picada  no picador de legumes, 1 porção de  repolho e pimentão vermelho em tirinhas bem fininhas, 4 ou 5 rabanetes em tirinhas, 1 cebola média em rodelas. Se gostar de erva doce (funcho) coloque que fica muito bom.

PREPARO: Em uma panela com água fervendo colocar primeiro a cenoura, quando levantar fervura, coloque o repolho e, quando levantar nova fervura coloque o pimentão e a cebola e desligue, mexa um pouco, coe imediatamente  e coloque em uma vasilha grande para esfriar.

Acrescente o rabanete bem lavado e picado em tiras e  com um pouco de casca e a erva doce se quizer.

Tempere com  sal ,  vinagre e pimenta do reino a gosto. Deixe descansar pelo menos por 1 hora.

Coe em uma peneira e  esprema  apertando com a mão para escorrer todo o caldo e ficar praticamente seco.

Regue com bastante azeite e um pouco de mostarda amarela, mexa bem e sirva.

Obs: Se gostar pode usar os ingredientes cortados bem fininhos, sem ferventar, deixando curtir com mais vinagre.      Neste caso, é bom lavar bem a cebola antes, para diminuir a acidez.

SALADA DE PEPINO A JAPONESA

INGREDIENTES: 2 pepinos japoneses fatiados bem fininhos – no picador de legumes   –  1 colher de sobremesa  de açúcar  –   2 colheres de sopa  de vinagre branco  –

PREPARO:   Deixar curtir de 2 a 3 horas. (o pepino solta bastante água)  –  Escorrer bem em uma peneira (não precisa prensar) – Regar com shoyo e azeite e servir.

SALADA DE RABANETE

INGREDIENTES: Rabanetes, vinagre, sal e pimenta do reino a gosto

PREPARO: Lave bem os rabanetes, esfregando bem, sem descascar e corte em rodelas, fatias bem finas. Coloque o vinagre – 2 colheres para 4 ou 5 rabanetes, o sal e a pimenta do reino e deixe curtir 5/10 minutos. Logo a seguir, escorra bem e regue com azeite.      O Segredo é não preparar muito antes para não perder o sabor do rabanete.

MOLHOS  PARA SALADA

1)  Colocar em um vidro de molho – metade vinagre e metade vinho tinto e deixar na geladeira. Usar em salada verde. 2) Idem idem mostarda e vinagre       –   idem idem molho inglês e vinagre

3)AGRI DOCE 1 colher de sopa de mel, 2 colheres de sopa de mostarda, 1/2  copo  de yogurte natural (ou um pouco mais)   e uma  pitada de sal. Usar em salada verde  com pepino, tomate e rabanete todos picadinhos e cenoura ralada,  com um pouco de azeite.
SIMPLIFICADO – 3 colheres de sopa de catechupe picante – 2 colheres de shoyo, 1 colher sobremesa rasa de açucar e 1/2 colher de vinagre.- Ideal para saladas de legumes cozidos.

4) Shoyo com Wassabi ou molho de pimenta. Para sushi,   sashimi  e     tofu.

5) Molho Tarê –  1 envelope de hondashi, 1 copo de shoyo, 1/2  copo de sakê, 1/2 copo de açucar. Cozinhar até ficar em ponto de calda. Conservar na geladeira  –  para sushi,   sashimi ou peixe grelhado.

6)Molho tártaro –  1 xicara de maionese, 1 gema cozida, 1 colher sopa de pepino bem picadinho, 1 colher sopa de salsinha bem picadinha, 1 cebola em conserva  bem picadinha. Dissolva a gema em 2 colheres de maionese e junte o restante dos ingredientes

7) Molho vinagrete –  Cebola picadinha, tomate sem semente picadinho, um pouco de repolho bem picadinho, pimentão vermelho picadinho, uma pimenta dedo de moça, sem semente, picadinha – deixar curtir 1/2 hora e juntar cebolinha picadinha. – Para churrasco, sanduiche de linguiça, salsicha ou croquete no pão.

SALADA WALDORF –  INGREDIENTES: 1  de salsão, sem o fiapo e cortado em cubinhos  –   1 fatia grossa de presunto defumado em cubinhos  –  1 maçã descascada e picada em cubinhos  –  1 colher de uva passa sem caroço  –  2 colheres de sopa de nozes picadas.    TEMPERAR  com maionese e um fio de azeite.

SALADA DE FEIJÃO  –

INGREDIENTES: 200 grs de feijão branco ou jalo cozidos inteiros (sem amassar)  –  1 xicara de vagem cozida em pedaços pequenos  –  1/2 pimentão vermelho  e 1  cebola pequena  em fatias finas e curtidos no vinagre por pelo menos 1 hora  – 1  tomate picado  —  Cebolinha picada.

PREPARO: Misture o feijão, a vagem e o vinagrete de cebola e pimentão e 2 pitadas de sal  e deixe curtir por alguns minutos. Escorra bem, acrescente o tomate a cebolinha e tempere com azeite  e um pouco de pimenta do reino a gosto.

SALPICÃO DE FRANGO  – Receita da minha Tia Yara – minha mulher a Dona Olga sempre faz no Natal e fica muito bom.

INGREDIENTES: 1 frango defumado sem a pele e desfiado. 2 cenouras raladas  –   2 talos de salsão sem o fiapo e bem picadinho   –  2 maçãs bem picadinhas  –  150 grs de uva passa sem caroço  –  150 grs de nozes picadas  –  Maionese.

PREPARO: Misturar tudo com maionese na consistência desejada. Obs –  É quase a mesma receita da Salada Waldorf, só que vai o frango defumado e não presunto.

SARDELLA  – INGREDIENTES: 100 grs de anchova/aliche    –   1 lata de atum  moido   –  1 dente de alho  picado   –   1/2  pimentão vermelho picado  –  2 pimentas dedo de moça picadas sem as sementes   –   1/2 lata de molho de tomate  –  1 colher de chá de páprica picante (opcional)  –

PREPARO: Bater tudo no liquidificador e cozinhar por 5 minutos. Esfriar e guardar na geladeira. Obs: Se não tiver pimenta fresca, coloque molho ou óleo de pimenta no final.

SARDELLA RÁPIDA  –

INGREDIENTES: 1 lata de sardinha no molho de tomate com pimenta  –  1  lata de atum no molho de tomate com pimenta  –  2 colhdres de sopa da azeite

PREPARO: Bater tudo mo mix e pronto. Obs: Fica uótima.

SALADA DE BATATA COM SALSICHA –  INGREDIENTES:  4 Batatas  descascadas e cortadas em 4   –   1/2 colher de sobremesa de tempero completo, ou um tablete de caldo de carne  –  1 colher de sopa de vinagre  –  1 colher de sopa de azeite  –  Salsicha a vontade  –   Mostarda escura forte  –

PREPARO: Cozinhar bem as batatas, com pouca água, o vinagre e o temper. Desligar e deixar ficar morno.  Amasse as batatas com garfo e um pouco de azeite  –  Servir com salsicha pre-cozida e mostarda a gosto. Obs: Era servido com vários tipos de salsicha ou croquete, na Salada Paulista da Avenida Ipiranga –  primeiro fast food de São Paulo. Lamentávelmente, parece que não existe mais, no local ficou uma lanchonete do  Mac Donnalds. Ainda bem que  o Bar Brahma resistiu.  DICA: Deve-se conservar a mostarda na geladeira  em um vidro com tampa, logo  que for aberta a  embalagem original.   Se ficar no pote de plastico fica fraca e perde o sabor.

SALADA DE CHUCHÚ
É uma das minhas preferudas. É só cozinhar bem o chuchú e deixxar no molho vinagrete curtindo por 1 hora. Sal e pimenta a gosto.

TABULE  –

INGREDIENTES: 1/2 xicara de trigo para quibe  –  1 tomate sem as sementes bem picadinho  –  1 cebola pequena bem picadinha  –  1 pepino sem a semente picadinhos  –   4 ramos de hortelã  –   salsa e cebolinha a gosto. Sal, suco de limão e azeite.

PREPARO: Deixe o quibe de molho na água  por 2 horas, depois escorra bem e despeje em uma vasilha, junte os demais ingredientes   com o suco de 1 limão e deixe descansar uns 15 minutos (menos a hortelã e o cheiro verde).

Depois escorra bem, expremendo com a mão para ficar bem seco e  por último acrescente a hortelã, a salsinha e a cebolinha bem picadinhos,  regue com  azeite,  mexa bem e sirva em seguida

Obs: A cebola depois de picada  é bom lavá-la para tirar o excesso de acidez antes de juntar aos demais ingredientes
SALDA DE QUIABO

Cozinhe o quiabo inteiro  al dente em água com sal. (se for grande pode partir ao meio) Coe e deixe escorrer bem.  Cubra com um vinagrete de cebola e deixe curtir  por 1/2 hora. Coe novamente e regue com azeite.

PATÊS  –  Batidos no liquidificador

ATUM – 1 lata de  atum no azeite,  2 colheres de  ricota fresca ou requeijão e 1 colher de maionese    –

AZEITONAS  –   12 azeitonas verdes sem caroço, azeite,     1 dente de alho  – 4 filés de anchovas e 1 colher de sopa de requeijão ou ricota.  –

ALHO  –  2 dentes de alho, cebolinha , 2 colheres de ricota, 1 colher de azeite e sal a gosto. –

BERINGELA  –       Salgar 1 beringela picada, deixe marinar 30  minutos escorra  e dê uma ferventada, só levantar fervura e desligar. Deixe esfriar e escorrer bem  espremendo com a mão.  Junte 2 colheres de sopa de maionese, 2 colheres de sopa de azeite, 1 dente de alho, 1 colher de chá de orégano, bater tudo no liquificador e deixar na  geladeira.

PATÊ DE BACON  – Fritar bem o bacon em cubinhos até ficar crocante. Escorrer um pouco da  gordura, esperar esfriar e juntar requeijão mexendo bem.

Read Full Post »

YAKISOBA

Prato da culinária japonesa e chinesa. Como sempre, faço da minha moda  simplificando.

O bom mesmo é feito com macarrão frito e só alguns  bons  restaurantes o fazem bem.

INGREDIENTES

150 grs de filé mignon ou peito de frango em tirinhas  –  1/2 xícara de azeite

Legumes diversos picados em lascas ou  tirinhas:  Brocolis, cenoura, pimentão, acelga, salsão e  repolho de acordo com a quantidade que se deseja fazer.

2 pacotes de miojo.   –   1 cálice de shoyo  –    2 temperos do miojo     –     1 colher sobremesa de açúcar  –  1 colher de chá de aji-nomoto   –   4 copos de água – 1/2 colher de farinha de trigo.

PREPARO

Em uma panela ferva a agua com o shoyo,  o tempero do miojo e o açúcar, acrescente a farinha de trigo, mexa  bem e reserve.

Em uma boa frigideira, frite bem no azeite o frango ou filé mignon e junte os legumes pela ordem de consistência, a cenoura, mexendo, o brócolis, o pimentão, o repolho e a acelga.

Despeje todo o caldo do tempero ainda quente, deixe cozinhar alguns minutos e distribua o miojo por cima cortados em 4. Vá mexendo até o miojo ficar no ponto. Sirva quente, serve 3 pessoas. Se achar necessário regue com mais um fio de shoyo.

mesmo procedimento acima usando 1 pacote de  moyashi lavado,  escorrido e refogado no azeite, ao invés dos legumes.

É mais fácil e fica muito bom. O moyashi deve ser usado  fresco, de preferência comprado no mesmo dia.

Obs: Existe um molho pronto para Yakisoba, que facilita muito e fica bem gostoso.

Read Full Post »

SINUCA

Meu apelido familiar é Lique. Se eu tivesse que ter outro apelido acho que deveria ser –  Mais ou menos – aliás, mais do que menos. Talvez 7,5 (sete e meio) estaria bom.

Explico: Tive dezenas de atividades de lazer, esportiva e profissional, sempre atingindo um nível bom, acima da média, mas nunca ótimo ou excepcional. Parece que sempre me contentei como bom, talvez, por comodidade ou  para não ter a responsabilidade de  uma disputa mais competitiva. Na realidade, acho que não é bem isto.

Todas essas atividades foram desenvolvidas como desafio ou  pelo instinto de curiosidade  e quando começava a enjoar ou perder a motivação, mudava para outra atividade.

Isto ocorreu, inclusive, com empregos, chegando a abandonar cargos tranquilos para assumir desafios.

BARRA FIXA –  BOX   –   BAILES  –   TENIS DE MESA  –   XADREZ  –  FOTOGRAFIA    –   DATILOGRAFIA   –      MOTORISTA   –  SINUCA   –    CONTABILIDADE  –    ADMINISTRAÇÃO  DE EMPRESAS   –     e    CULINÁRIA.

Sempre  consegui desempenhar  acima da média  ( modéstia a parte )   em todas estas atividades.

O segredo é  ouvir os mais experientes e arquivar na memória o que  for   importante para utilizar na hora certa.

Oportunamente,  pretendo  dissertar uma pouco sobre cada uma dessas atividades.

Depois que comecei a gostar de bailes e com os bailes, um cuba libre aqui, outro  alí  o preparo físico foi pro brejo, passei então a apelar para os jogos de salão, foi quando, descobri  o Sinuca.

Atualmente, na minha idade, enxergando só com uma vista, é o único esporte que ainda consigo fazer com um desempenho bom  apesar de  jogar, em média,  apenas 3 horas por semana. É um esporte que exige muito treino para ganhar a firmesa e a sensibilidade necessária no braços para calcular os efeitos e a força nas tacadas.

Um campeão profissional, treina no mínimo 4 horas diárias.

SINUCA

O Bilhar ou Sinuca foi sempre considerado no Brasil  um  jogo de malandro, mas eu acho que é uma injustiça este conceito, é um esporte e não jogo.

Outro pensamento incorreto é achar que é jogo de azar.  É um esporte como outro qualquer, que exige muita precisão, visão de jogo, calma e  e sangue frio.

O fator sorte para um jogador bem treinado e com bons conhecimentos, não chega a influir em 5%. Para os campeões e jogadores do primeiro nível é quase nulo, vence sempre o melhor.

Na Inglaterra é considerado um esporte nacional, premiando e remunerando muito bem os seus jogadores.

O jogador de futebol ou artista que fica rico, a primeira coisa que faz é colocar uma linda mesa de bilhar em sua mansão.

É pena que não se preocupam em aprender a jogar e só posam para fotografias.

Mesmo como passatempo, é muito interessante conhecer alguns princípios básicos para se realizar uma boa tacada e praticar o Sinuca com mais prazer.

Morando em Mococa próximo  a um salão de bilhar , ficava o dia inteiro   batendo bola e observando os bons jogadores  e acabei  aprendendo quase tudo sobre o jogo.

Passei a jogar  bem e só não jogava melhor, porque era durango e não jogava a dinheiro.

No fundo,  eu só queria me divertir.  Como eu não tinha o que fazer ficava treinando jogadas difíceis. Como os demais hobbies, na sinuca também, não me considerava  um viciado.

Mudando para São Paulo e   estando ha  mais de 20 anos sem jogar, fui convidado pelos colegas  do Posto Fiscal de Itapecerica da Serra,  para jogar.   Falei que não sabia mais nem pegar no taco.    Mesmo sem muita vontade acabei indo. Conclusão, descobri que não tinha esquecido como jogar e fiz boas tacadas. Acho que dei sorte.

O que aconteceu a seguir foi que  um dia estava sem vontade e jogava muito mal, outro dia, jogava bem.

Acabaram-se  aquelas reuniões e eu acabei conhecendo um salão perto de casa, o Bacos no Aeroporto,  que  tinha torneios todos os sábados e ranking com os melhores colocados.

Tinha um grupo muito forte, a maioria participava em clubes como atletas e disputava todos os campeonatos.

Tive que me esforçar procurando jogar mais a sério, senão não ia conseguir  jogar com aquelas feras.

Fiquei feliz por ter ficado durante vários anos em oitavo lugar no ranking.

O salão começou a ficar sofisticado, o novo dono fez uma especie de boate, passou  a se chamar Whiskritório e parei de frequentar.

Atualmente, como só posso  jogar  durante o dia, estou frequentando a Federação Paulista de Sinuca e Bilhar onde tem uns veteranos aposentados que jogam no periodo vespertino.

Como  entidade esportiva tem torneios femininos e até infantís sendo que os melhores colocados disputam até campeonatos brasileiros. No meu caso, tem campeonato Senior para a terceira idade, mas não participo porque  estes torneios acabam indo até tarde da noite.  Participei de alguns torneios em salões e clubes  e ficava sempre no minimo entre os quatros finalistas, peguei alguns segundos lugares, mas nunca consegui vencer um campeonato.

Geralmente, na reta final costuma-se a jogar 3 ou 4 partidas no mesmo dia e acabo cansando.  Não parece, mas mesmo no sinuca o preparo físico é fundamental, cansado, perde-se a concentração e quando se erra uma bola fácil o adversário se anima e  começa a jogar bem.

Talvez o fato de eu gostar de tomar umas cervejas, possa também ter influência nos resultados.

Os chamados atletas não costumam beber nem água durante as partidas.

Na Federação sempre aparecem os principais jogadores. Um deles o Jota é meu amigo, treina 4 horas por dia e está sempre entre os 4 melhores  no ranking brasileiro.  Em um dos campeonatos ele fez a tacada perfeita matando 10 vermelhas e 10 bolas sete  e fechando o jogo sem errar uma tacada.   Recebeu um prêmio  de R$.3000,00 (treis mil reais). Na Inglaterra teria ganho pelo menos 200 mil dólares.

A Sinuca não  é  só um excelente passatempo, más é também um bom  exercicio e recomendo a todos, inclusive mulheres. Em uma hora de jogo fazemos aproximadamente umas duzentas flexões e caminhamos uns seiscentos metros ou mais.

Também, serve para fazer amigos,  relaxar e se  desligar dos problemas e até renovar as baterias.

O Sr. Helio que aparece no centro da foto está com quase 80 anos e é esperto pra caramba, como ele joga todos os dias, está difícil de ganhar dele. Perguntei a ele qual o segredo da sua vitalidade, ele me disse que o importante é a rotina, comer e dormir na hora certa e ter 2 ou 3 horas de lazer todos os dias.  Como ele é corretor de imóveis, não para o dia todo e não dá aquele famoso cochilo que todos nós gostamos de dar depois do almoço, mas sempre reserva um tempinho para o Sinuca.

TECNICA  –  Sem compromisso, vou tentar transmitir alguns princípios mínimos para se jogar sinuca.

Lembrem-se que além da disciplina, tudo depende de treinamento.

TACO – Procure ter um taco próprio com um peso que lhe agrade. Geralmente pessoas fortes gostam de tacos mais pesados.  O taco inteiro sempre é melhor, mas existem tacos de rosca dobráveis, mais fáceis de transportar que também são bons. O taco deve ser bem reto, rolando-o sobre a mesa, não deve apresentar oscilações.  Acostume-se  com a sola (ponteira) colocando sempre uma de boa qualidade não deixando que ela forme rebarbas. O ideal é que a bordas da sola fiquem sempre um pouco  arredondadas. Um bom giz próprio também é importante.

Existem tacos importados de até R$.2.000,00, mas por R$.200,00 pode-se comprar um bom taco nacional.

Para mantê-los sempre bem retos, existem estojos protetores. Deixá-los pendurados também é bom. As capas  comuns e baratas possuem um ganho bom para pendurar em qualquer prego.

POSIÇÃO  –  A posição para as tacadas é fundamental. Se observarmos um bom jogador, veremos que ele se posiciona sempre da mesma forma em todas as tacadas, como se fosse um ritual, fazendo a mira e batendo na bola só quando tem certeza.

Este tipo de jogador dificilmente erra uma tacada. A posição clássica dos melhores jogadores é: Para o jogador destro:

1)A mão esquerda bem apoiada na mesa para deslizar o taco com firmesa;

2) perna esquerda a frente levemente flexionada, mas firme;

3)  perna direita bem esticada para trás e tambem  bem firme;

4) braço direito com o cotovelo atrás  em L e a mão segurando o taco a um palmo do término do taco.

5) o taco deve apoiar  sobre a mão esquerda  deslizando sempre reto, sem oscilações, passando aproximadamente pelo queixo do jogador, de forma que este, colocando  a ponta do taco no centro da bola branca (a bola que deve ser atingida pelo taco) possa ao mesmo tempo fazer a mira na bola da jogada.

Com a posição correta e com um pouco de treino aprende-se facilmente fazer a mira correta.

A  TACADA   –   Depois de conferida a mira e ter verificado se o taco está deslizando retamente e sem oscilações, é  importante que a tacada seja executada movimentando-se somente o antebraço e a mão  que está segurando o taco. Todo o corpo deve permanecer firme e nem a cabeça deve se movimentar, sendo  recomendável, inclusive, que se prenda a respiração na hora da tacada.

A maior parte das bolas são erradas, porque  na hora de disparar a tacada balançamos o corpo. Muitas vezes demoramos para afirmar o corpo, costuma-se dizer,  afirmar o taco, mas na realidade é o corpo que não está firme. O ideal é só dar a tacada, quando tiver certeza. Neste aspecto, tive um amigo o Munhoz, que infelizmente já faleceu, ganhou vários campeonatos, mas era irritante, demorava pelo menos 30 segundos para dar cada tacada. Na dúvida ele voltava e se posicionava melhor. Não sei se era tática dele para irritar o adversário? Acho que não. É bom acostumar a passar giz antes de todas as tacadas.

PARA ENCAÇAPAR UMA BOLA  –  O principio é calcular o angulo da bola que deve ser encaçapada em relação a caçapa. Este angulo é facil de verificar vendo em linha reta a  direção  da bola na  caçapa, é onde a bola branca  deverá atingí-la para que ela entre na caçapa. Como não pretendo fazer dezenhos, é melhor verificar com as proprias bolas. Com um pouco de treino o jogador logo conseguirá visualizar a direção da bola em relação a caçapa.

APRIMORAMENTOS  –

Encaçapar bolas, geralmente é fácil de aprender. Assim que o jogador estiver dominando as técnicas acima e encaçapando bem as bolas, deve começar a treinar técnicas mais avançadas:

DOMÍNIO DA BOLA BRANCA     –  Tem jogador que não melhora seu jogo porque bate sempre na bola com a mesma força e do mesmo jeito. Neste caso só jogadores com muita técnica conseguem dominar  a bola branca batendo forte ou com a mesma força.  e controlando tudo no pulso.  É raro encontrá-los, conheci uns dois, um deles era o Tonhão, que começou a jogar com 32 anos, mas tinha o dom de controlar a bola branca batendo com força. Ele encaçapava as bolas com uma rapidez que o adversário não vencia tirá-las da caçapa. Nunca jogou a dinheiro e  nem ganhou nenhum campeonato, mas brincando, ninguem ganhava dele. O normal é fazer um treinamento para aprender a encaçapar bolas com várias doses de força, tentando colocar a bola branca em uma posição favorável para a próxima tacada. Procure observar como fazem os bons jogadores.  Para esse controle da bola branca, além do cálculo  da força, exige-se um treinamento dos efeitos. O efeito  é  quando se bate na bola branca em posiçào diferente que não seja no centro. Ex: Se batermos no lado direito a bola pega efeito para o lado direito. ( e vice-versa ); se batermos em baixo a bola branca deverá parar ou retrocecer (a chamada puxada). Se batermos em cima da bola branca ela vai rolar, ou seja, correr bastante para frente.  Tem alguns sites com videos mostrando estas jogadas, mas só se aprende jogando  e treinando  exaustivamente até que o braço fique educado.  Jogar a bola devagar é sempre mais difícil do que com força e exige uma firmeza e  sensibilidade no braço maior. Tenho um amigo chinês  que aliás é português, Antonio Fu  – nasceu em  Macau  que consegue,  mesmo de longa distância, colar uma bola na outra para se defender.

Com esta técnica ele ganha muitas partidas. Para parar a branca, espete o taco em baixo da bola  e pare. Para puxar, espete o taco em baixo da bola branca e bata  para frente. Tem jogadores que tem tanta facilidade para puxar a bola que acabam tendo mais precisão neste tipo de jogada, preferindo sempre puxar, do que fazer uma jogada mais simples.

No salão do Getulio, no Jabaquara, tinha um japonês que só sabia fazer isto. Em uma mesa grande profissional ele,   na transversal, de uma caçapa a outra ele conseguia puxar a bola branca de volta de onde ele jogou. Nunca ví ninguem fazer igual.

Existem as puxadas com efeito, coisa que só os jogadores com braço muito bom conseguem fazer. São as mais dificeis. Efeito contrário. é quando se bate com efeito contrário a caçapa. O resultado quando a bola branca bate na tabela também é contrário. Também é uma jogada dificil que demora um bom tempo para aprender.

TABELAS –  As tabelas recebem uma divisão com pontos, cujos pontos em uma mesa de boa qualidade, com tabelas boas, servem de referencia para cálculos de cortadas. A cortada é quando se joga uma bola na tabela para que ela caia em uma determinada caçapa. É  sempre uma jogada muito bonita, mas de alto risco e é geralmente evitada em campeonatos, mesmo pelos bons jogadores, porque além da técnica, exige também um pouco de sorte. É quase impossível ter certeza de que não vai errar. Eu me considero especialista neste tipo de jogada (porque jogo para brincar) e por não resistir a tentação acabo  perdendo  muitas partidas. O conhecimento das tabelas é também muito importante para sair de sinucas, quando não passa diretamente a bola da vez.

TORNEIOS E CAMPEONATOS

Depois que tiver dominado todas as técnicas, se pretender disputar algum torneio deve ter em mente que a Sinuca é um dos esportes que mais exige concentração e controle emocional. Por isso que alguns jogadores (é o caso citado do Tonhão que  embora jogando muito bem, não consegue vencer nenhum campeonato)    Os verdadeiros campeões são frios e calculistas, na dúvida eles param, respiram fundo, engraxam o taco, pensam bem e re-iniciam a tacada. A sorte pode influenciar em até 10%  e  temos que aceitar como normal.  Más quando erramos infantilmente, podemos   por  tudo a perder. Tem algumas malandragens, que pode fazer voce perder uma partida que parecia ganha. Você quando está dominando o jogo, não pode vacilar. Exemplos meus:  Estava ganhando de 4 a 1 de um bom jogador, a partida foi interrompida pela visita inesperada do Dr. Guimarães, amigo do meu adversário o Julião  e, abraços daqui, cumprimentos dali, perdi por 5 a 4. Em outra ocasião, estava perdendo de 2  a 0 e reagí brilhantemente trancando 2 partidas e empatando  o jogo. Na negra comecei jogando bem até que um gaiato falou: ele  vai trancar de novo. Conclusão com o peso da responsabilidade, perdi de 3 a 2.  Para quem não sabe, trancar o jogo é quando voce mata todas as bolas, sem chance para o adversário   Tem jogador que quando voce vai fazer uma tacada importante, ele vira as costas e vai conversar com alguém, menosprezando a sua tacada. Outro resolve perguntar o placar na hora da sua tacada e até discute a contagem.  Uma pessoa que passa atrás, quando você vai dar a tacada, deixa você desconcentrado  e  acaba errando. O erro faz  o adversário gostar do jogo e ao mesmo tempo que o jogo dele melhora voce tem que se esforçar muito para não perder a calma.

Devo lembrar tambem que os campeonatos oficiais atualmente são disputados na Regra Inglesa com 10 bolas vermellhas. Esta regra exige muito mais técnica dos jogadores no controle da bola branca, bem como uma grande visão do jogo. Quase sempre, só se começa uma tacada matando uma bola difícil. As defesas são importantes  e uma tacada é sempre diferente da outra. Na regra nacional  (7 bolas) o jogo é automático e as jogadas são sempre as mesmas.   O jogador com braço bom, não colando a bola branca, pode fechar a partida.  Rui Chapéu e outros  não se deram  bem na regra Inglesa porque o jogo deles era  automático. Falando em regras, no site da Federação tem todas. Na minha opinião a mais simples, a carambola, é a que mais exige técnica, é a mais dificil mas é muito bonito ver quem sabe jogar. São só 3 bolas, sem caçapa e os pontos são contados, cada vez que se consegue toca as 3. O jogador e deixa de fazer uma jogada fácil, optando por uma muito mais dificil, girando a bola na mesa,  para não espalhar as outras. Em Buenos Aires, visitei um salão muito bonito que só tinha este jogo, a maioria jogadores  veteranos, todos com coletes.     Presenciei uma tacada que contando parece mentira:           O jogador conseguiu puxar a bola 2 palmos, enquanto que a bola tocada andou menos e 1 palmo.   No Brasil, acho que não existe mais este jogo. Desconheço onde tem.

CONCLUSÃO – Espero ter ajudado a conseguir mais alguns adeptos para este excelente esporte e vou continuar, enquanto puder,  a dar as minhas tacadinhas sem compromisso, mas com boa execução.

O site do NOEL, tri-campeão brasileiro e campeão Sul Americano é bem completo sobre o assunto: http://www.noelsnooker.com.br, vale a pena visitá-lo.

Read Full Post »